02/01/2017

Diálogos apostólicos

Diálogos apostólicos II Parte
25 - [1]

Começou um novo ano e “passando em revista” os diálogos que vimos mantendo todas as Segundas-Feiras, de facto, um longo percurso, quero propor-te começar este ano por falar na Doutrina Social da Igreja porque me parece muito importante ter bem esclarecidas as ideias a respeito do que a Igreja pensa e recomenda sobre a Sociedade Humana e o seu comportamento.

Que te parece?

Respondo:

A mim parece-me muito bem e terei muito gosto em abordar o tema que é – como podes calcular – vastíssimo.

Vou, portanto, utilizar, principalmente, o próprio documento.

Comecemos:

Diria que a Igreja sempre se preocupou com a sociedade, o comportamento humano, o que é natural já a Igreja está inserida na sociedade que, desde a sua fundação por Jesus Cristo, sempre a influenciou.

Através de inúmeros documentos do Magistério e por outras intervenções nomeadamente dos Papas, foi recomendando, sugerindo regras e condutas de forma a que a mesma sociedade se dirija por caminhos correctos para dois objectivos principais: o bem comum e o cumprimento da Vontade de Deus (único meio de salvação).

Mas, no alvorecer do Terceiro Milénio, - 2001 - São João Paul II publicou um documento importantíssimo sobre o tema:

A Carta Apostólica Novo millennio ineunte, que veio estabelecer de uma forma muito clara o seu pensamento sobre o HUMANISMO INTEGRAL E SOLIDÁRIO.

Foi com base neste documento que o Magistério veio a lume com um Compêndio Doutrinal ao qual atribuiu o nome de Doutrina Social da Igreja.

É, portanto, este documento que iremos considerar nos nossos próximos encontros.




[1] Nota: Normalmente, estes “Diálogos apostólicos”, são publicados sob a forma de resumos e excertos de conversas semanais. Hoje, porém, dado o assunto, pareceu-me de interesse publicar quase na íntegra.

Sem comentários:

Enviar um comentário