11/06/2017

Evangelho e comentário

Tempo Comum

Santíssima Trindade

Evangelho: Jo 3, 16-18

16Tanto amou Deus o mundo, que lhe entregou o seu Filho Unigénito, a fim de que todo o que nele crê não se perca, mas tenha a vida eterna. 17De facto, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele. 18Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, por não crer no Filho Unigénito de Deus.

Comentário:

São João enfatiza, mais uma vez, que o Amor de Deus pelos homens não conhece limites.

Podemos perguntar que Deus é Este que quer, deseja e “paga um preço” tremendo para salvar as criaturas que Lhe pertencem – porque as criou -?

A resposta parece clara: É um Deus de Amor!

Que o homem se salve ou não passa a depender exclusivamente da vontade própria, Ele, o Criador, pôs à sua disposição os meios necessários e suficientes para que o consiga.

Este Deus de Amor também É um Deus de Liberdade!

A salvação do homem não acrescenta em nada a Sua Glória Incomensurável, mas compraz o Seu Amor Infinito.


(AMA, comentário sobre Jo 3, 16-18, 02.02.2017)

Sem comentários:

Enviar um comentário