05/03/2017

Evangelho e comentário

Tempo da Quaresma


Evangelho: Mt 4, 1-11

Naquele tempo, Jesus foi conduzido pelo Espírito ao deserto, a fim de ser tentado pelo Diabo. Jejuou quarenta dias e quarenta noites e, por fim, teve fome. O tentador aproximou-se e disse-lhe: «Se és Filho de Deus, diz a estas pedras que se transformem em pães». Jesus respondeu-lhe: «Está escrito: ‘Nem só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus’». Então o Diabo conduziu-O à cidade santa, levou-O ao pináculo do templo e disse-Lhe: «Se és Filho de Deus, lança-Te daqui abaixo, pois está escrito: ‘Deus mandará aos seus Anjos que te recebam nas suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra’». Respondeu-lhe Jesus: «Também está escrito: ‘Não tentarás o Senhor teu Deus’». De novo o Diabo O levou consigo a um monte muito alto, mostrou-Lhe todos os reinos do mundo e a sua glória, e disse-Lhe: «Tudo isto Te darei, se, prostrado, me adorares». Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, porque está escrito: ‘Adorarás o Senhor teu Deus e só a Ele prestarás culto’». Então o Diabo deixou-O e aproximaram-se os Anjos e serviram-n'O.

Comentário:

É de facto um mistério o que se relata neste trecho de São Mateus.

Em primeiro lugar, perguntamo-nos como o Evangelista teve conhecimento tão detalhado do que aconteceu.

Sabemos que o Espírito Santo iluminou a inteligência e guiou a mão dos Evangelistas e só pode ser esta a explicação.

Resta-nos tentar perceber porque foi necessário que este acontecimento fosse relatado, constasse no Evangelho que, não o esqueçamos, é a Palavra de Deus?

A “minha explicação” – não sou teólogo – é que o demónio não sabia, não tinha a certeza de Quem era Jesus e tenta deste modo, descobrir o que não sabe, mas suspeita.

Desta forma confirma-se que o demónio só tem poder sobre nós se lho consentirmos e não pode – nunca – conhecer o nosso íntimo, mas apenas suspeitar pelos sinais que lhe damos.

(ama, comentário sobre Mt 4, 1-11, 23.11.2016)






Sem comentários:

Enviar um comentário