17/10/2016

Diálogos apostólicos

Diálogos apostólicos II Parte
17 - [1]

Gostaria de continuar o tema do nosso encontro anterior: Os Filhos.

Que me podes dizer sobre a autoridade dos Pais em relação aos seus Filhos?

Respondo:

Uma das autoridades dos Pais mais evidentes e sólidas é constituída pelo exemplo.
Os Pais são um ponto de referência indiscutível para os filhos em qualquer idade mas, sobretudo, quando são muito jovens.
Os seus olhos estão postos atentamente nas figuras do Pai e da Mãe, fixando o menor dos seus gestos e atitudes não com espírito  mas como um reflexo natural do amor e da confiança que neles depo­sitam.
Desde logo, o amor, porque é naturalíssimo que nos fixemos naqueles que amamos com muito mais atenção e pormenor que nas outras pessoas que, por próximas ou importantes que sejam, não têm para nós uma correspondência incondicional ao amor que lhes dedicamos.
Ou seja, os filhos sabem que os Pais os amam sempre, em qualquer circunstância e que toda a sua vida se pauta por esse amor que é defensivo e activo.
Defensivo porque protector, procurando sempre aplanar o caminho, tentando suavizar os incidentes da evolução dos filhos como seres humanos. Activo porque está sempre presente, tentando construir pontes entre ambos, Pais e Filhos. [i]


[1] Nota: Normalmente, estes “Diálogos apostólicos”, são publicados sob a forma de resumos e excertos de conversas semanais. Hoje, porém, dado o assunto, pareceu-me de interesse publicar quase na íntegra.



[i] (Cfr. ama, in Migalhas para o Caminho I, pg. 262)

Sem comentários:

Enviar um comentário