12/07/2017

Reflectindo - 266

Alegria – 2

Forçosamente - quase - tenho de escrever sobre a alegria.

Porquê o "quase"?

Bom porque, em princípio, a alegria é o oposto da tristeza.

Mas estou triste?

Não!
Mas também não estou alegre!

É estranho?

Se é tenho de interrogar-me:
Tenho motivos para estar triste?
Não propriamente, porque nem chorar é uma manifestação de tristeza nem esta condiciona a minha vida.

E razões para estar alegre?

Ah! Isso tenho é muitas!

Inúmeras pessoas se preocupam comigo, me falam com frequência, se interessam, mostram a sua disponibilidade.
A tranquilidade económica é um factor muito importante, também.

Quero mais?

É aqui que bate o ponto.
Quero sempre mais, sinto-me credor de mais atenção, carinho, interesse.
Está visto, o que se passa comigo é um excessivo centrar-me em mim próprio.

Tenho, pois, a certeza que quando pensar mais nos outros que em mim, serei terei acesso permanente à alegria.



AMA, reflexões, 08.01.2017

Sem comentários:

Enviar um comentário