12/07/2017

Epístolas de São Paulo – 104

Carta aos Hebreus - cap 14

IV. A FÉ PERSEVERANTE (10,19-12,29)

Apelo a evitar a apostasia


- 19 Temos, pois, irmãos, plena liberdade para a entrada no santuário por meio do sangue de Jesus. 20 Ele abriu para nós um caminho novo e vivo através do véu, isto é, da sua humanidade 21 e, tendo um Sumo Sacerdote à frente da casa de Deus, 22 aproximemo-nos dele com um coração sincero, com a plena segurança da fé, com os corações purificados da má consciência e o corpo lavado com água pura. 23 Conservemos firmemente a profissão da nossa esperança, pois aquele que fez a promessa é fiel. 24 Estejamos atentos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras, 25 sem abandonarmos a nossa assembleia - como é costume de alguns - mas animando-nos, tanto mais quanto mais próximo vedes o Dia. 26 De facto, se pecamos deliberadamente, depois de termos recebido o conhecimento da verdade, não nos resta nenhum sacrifício pelos pecados, 27 mas somente a terrível espera do julgamento e o ardor de um fogo que se prepara para devorar os rebeldes. 28 Se aquele que transgride a Lei de Moisés é, sem piedade, condenado à morte com base em duas ou três testemunhas, 29 quanto maior castigo pensais que merecerá o que tiver calcado aos pés o Filho de Deus, tiver considerado profano o sangue da aliança, pelo qual foi santificado, e tiver ultrajado o Espírito da graça? 30 Conhecemos, de facto, aquele que disse: A mim pertence a vingança; Eu é que retribuirei. E ainda: O Senhor julgará o seu povo. 31 É terrível cair nas mãos do Deus vivo! 32 Recordai os primeiros dias nos quais, depois de terdes sido iluminados, 33 suportastes a grande luta dos sofrimentos, tanto sendo expostos publicamente a insultos e tribulações, como sendo solidários com os que assim eram tratados. 34 Tomastes parte nos sofrimentos dos encarcerados, aceitastes com alegria a confiscação dos vossos bens, sabendo que possuís bens melhores e mais duradouros. 35 Não percais, pois, a vossa confiança, à qual está reservada uma grande recompensa. 36 Na realidade, tendes necessidade de perseverança, para que, tendo cumprido a vontade de Deus, alcanceis a promessa. 37 Pois ainda um pouco, de facto, um pouco apenas, e o que há-de vir, virá e não tardará. 38 O meu justo viverá pela fé, mas, se ele voltar atrás, a minha alma não encontrará nele satisfação. 39 Nós, porém, não somos daqueles que voltam atrás para a perdição, mas homens de fé para a salvação da nossa alma.

Sem comentários:

Enviar um comentário