25/07/2017

Fátima: Centenário - Vida de Maria - 36


Centenário das aparições da Santíssima 

Virgem em Fátima


O nascimento de Jesus



A VOZ DO MAGISTÉRIO

«Seguindo, pois, os Santos Padres, todos a uma voz ensinamos que há-de confessar-se  um só e mesmo Filho, nosso Senhor Jesus Cristo, o mesmo perfeito na divindade e o mesmo perfeito na humanidade, verdadeiramente Deus e o mesmo verdadeiramente homem de alma racional e de corpo, consubstancial com o Pai enquanto à divindade e o mesmo consubstancial connosco enquanto à humanidade,  semelhante em tudo a nós, excepto no pecado [i] gerado do Pai antes dos séculos enquanto à divindade e o mesmo, nos últimos dias, por nós e para nossa salvação, gerado de Maria Virgem, mãe de Deus, enquanto à humanidade; que se há-de reconhecer um só e mesmo Cristo Filho Senhor unigénito em duas naturezas, sem confusão, sem alteração, sem divisão, sem separação; de modo algum apagada a diferença de naturezas por causa da união, mas conservando, antes, cada natureza a sua propriedade e concorrendo numa só pessoa e numa só hipóstasis, não quebrado ou dividido em duas pessoas, mas um só e mesmo Filho unigénito, Deus Verbo Senhor Jesus Cristo, como dos primórdios acerca d’Ele nos ensinaram os profetas e o próprio Jesus Cristo e no-lo transmitiu o Símbolo dos Padres».

Concílio Ecuménico de Calcedónia, sessão 5 (22-X-451). Definição das duas naturezas de Cristo (Denz 301-302).




[i] Hb 4, 15

Sem comentários:

Enviar um comentário