29/06/2017

Evangelho e comentário

Tempo Comum

São Pedro e São Paulo - Apóstolos

Evangelho: Jo 21, 15-19

Quando Jesus Se manifestou aos seus discípulos junto ao mar de Tiberíades, depois de comerem, perguntou a Simão Pedro: «Simão, filho de João, tu amas-Me mais do que estes?». Ele respondeu-Lhe: «Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta os meus cordeiros». Voltou a perguntar-lhe segunda vez: «Simão, filho de João, tu amas-Me?». Ele respondeu-Lhe: «Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta as minhas ovelhas». Perguntou-lhe pela terceira vez: «Simão, filho de João, tu amas-Me?». Pedro entristeceu-se por Jesus lhe ter perguntado pela terceira vez se O amava e respondeu-Lhe: «Senhor, Tu sabes tudo, bem sabes que Te amo». Disse-lhe Jesus: «Apascenta as minhas ovelhas. Em verdade, em verdade te digo: Quando eras mais novo, tu mesmo te cingias e andavas por onde querias; mas quando fores mais velho, estenderás a mão e outro te cingirá e te levará para onde não queres». Jesus disse isto para indicar o género de morte com que Pedro havia de dar glória a Deus. Dito isto, acrescentou: «Segue-Me».

Comentário:

Sem pretender comparar-me com Pedro, vejo-me retratado nesta cena que São João nos relata.

O Senhor pergunta-me, também a mim, se O amo e, eu, respondo sempre com enorme veemência que sim, que O amo com todas as forças do meu ser.

E, logo, esqueço-me do que afirmei tão convictamente e traio, finjo que não me lembro, e ofendo-O.

Depois, aflito, atrevo-me a perguntar:

Senhor, Tu, apesar de tudo… amas-me?

E, a resposta, é sempre a mesma:

Eu… sou fiel! Amo-te sempre!

(AMA, comentário sobre Jo 21, 15-19, 17.02.2017)





























Sem comentários:

Enviar um comentário