15/06/2017

Evangelho e comentário

Tempo Comum

Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo

Evangelho: Jo 6, 51-58

51Eu sou o pão vivo, o que desceu do Céu: se alguém comer deste pão, viverá eternamente; e o pão que Eu hei-de dar é a minha carne, pela vida do mundo.» 52Então, os judeus, exaltados, puseram-se a discutir entre si, dizendo: «Como pode Ele dar-nos a sua carne a comer?!» 53Disse-lhes Jesus: «Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes mesmo a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. 54Quem realmente come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna e Eu hei-de ressuscitá-lo no último dia, 55porque a minha carne é uma verdadeira comida e o meu sangue, uma verdadeira bebida. 56Quem realmente come a minha carne e bebe o meu sangue fica a morar em mim e Eu nele. 57Assim como o Pai que me enviou vive e Eu vivo pelo Pai, também quem de verdade me come viverá por mim. 58Este é o pão que desceu do Céu; não é como aquele que os antepassados comeram, pois eles morreram; quem come mesmo deste pão viverá eternamente.»

Comentário:

Este trecho do Evangelho escrito por São João é muito apropriado para o dia de hoje em que se comemora a antiquíssima Festa do Corpo de Deus.

Perante a maravilha que é a Santíssima Eucaristia, o homem cristão não pode mais que dar graças a Deus que quis humilhar-se – por assim dizer com palavras humanas – a ficar para sempre junto dos homens em Corpo, Alma e Divindade, oculto sob as espécies consagradas do Pão eucarístico.

Tal só pode explicar-se pelo AMOR – sim, AMOR com letras maiúsculas – que Deus tem pelas Suas criaturas.

Disponível e sempre acessível ali está, no Sacrário das Igrejas da terra esperando que O visitemos, O recebamos na Comunhão Eucarística, enfim, retribuindo com o nosso amor sempre curto e deficiente o Seu Amor incomensurável.


(AMA, comentário sobre Jo 6, 51-58, 03.02.2017)

Sem comentários:

Enviar um comentário