11/05/2017

Evangelho e comentário


Tempo de Páscoa


Evangelho: Jo 13, 16-20

16Em verdade, em verdade vos digo, não é o servo mais do que o seu Senhor, nem o enviado mais do que aquele que o envia. 17Uma vez que sabeis isto, sereis felizes se o puserdes em prática. 18Não me refiro a todos vós. Eu bem sei quem escolhi, e há-de cumprir-se a Escritura: Aquele que come do meu pão levantou contra mim o calcanhar. 19Desde já vo-lo digo, antes que isso aconteça, para que, quando acontecer, acrediteis que Eu sou. 20Em verdade, em verdade vos digo: quem receber aquele que Eu enviar é a mim que recebe, e quem me recebe a mim, recebe aquele que me enviou.»

Comentário:

Jesus Cristo indica uma forma segura de alcançar a felicidade: saber exactamente quem se é e que lugar se ocupa.

Ou seja, ser igual a si próprio e actuar de acordo.

Infelizmente, Judas – o traidor – não compreendeu isto e, por isso mesmo, por achar que sabia ou, de qualquer forma, se achava mais capaz ou instruído que o seu Mestre e Senhor, caiu na desgraça da traição.
Judas é o paradigma dos que se acham superiores ou os detentores da única razão e não ouvem, não escutam nem sequer aproveitam os ensejos e oportunidades que, durante a vida, lhes vão sendo sugeridas como o caminho a seguir, a atitude a tomar.

No fim e ao cabo… estamos a falar do orgulho próprio, da teimosia intelectual, das “ideias feitas”, de preconceitos e individualismo exacerbado.

Estas atitudes pagam-se caro, tanto para o próprio como para outros.

(AMA, comentário sobre Jo 13, 16-20, 07.01.2017)








Sem comentários:

Enviar um comentário