28/02/2017

Evangelho e comentário

Tempo comum


Evangelho: Mc 10, 28-31

28 Pedro começou a dizer-Lhe: «Eis que deixámos tudo e Te seguimos».29 Jesus respondeu: «Em verdade vos digo: Ninguém há que tenha deixado a casa, os irmãos, as irmãs, o pai, a mãe, os filhos, ou as terras, por causa de Mim e do Evangelho,30 que não receba o cêntuplo, mesmo nesta vida, em casas, irmãos, irmãs, mães, filhos, e terras, juntamente com as perseguições, e no tempo futuro a vida eterna.31 Porém, muitos dos primeiros serão os últimos, e os últimos serão os primeiros».

Comentário:

O versículo 31 pode provocar alguma perplexidade porque talvez não se entenda bem o que o Senhor afirma.

Na verdade, quando diz “os primeiros” refere-se àqueles que receberam a luz da Fé ainda crianças, ensinamentos e conhecimentos proporcionados pela família, os professores, enfim… receberam na sua juventude bases suficientes e bastantes para conhecer Deus, praticar a Fé, viver como Deus deseja que vivamos, isto é, amando e cumprindo a Sua Vontade.

Só que, com o passar do tempo essa prática foi como que arrefecendo dando lugar a uma rotina sem “chama” como que cumprindo os “mínimos” que lhe deram acesso à Vida Eterna.

Os “últimos” serão aqueles que só mais tarde na vida – talvez muito mais tarde – conheceram Deus, aceitaram a Fé e se dedicaram a partir de então a tudo fazer para cumprir a Vontade de Deus num constante desejo de melhoria pessoal.

Percebe-se muito bem que Jesus se referia de modo particular ao povo judeu que tendo recebido ao longo de séculos meios abundantíssimos para cumprir a Lei dada por Deus a Moisés, preparando assim a vinda do Messias, foi como que ultrapassado por novas gentes, novos povos que se converteram aceitando o Reino de Deus nomeadamente com a pregação dos Apóstolos e dos seus seguidores ao longo dos tempos.

(ama, comentário sobre Mc 10, 28-31, 24.05.2016)


Sem comentários:

Enviar um comentário