06/01/2017

Reflectindo - 217

Reflectindo



Que falta faço eu?

Parece uma pergunta com sentido algo derrotista!

Talvez seja, os estados de espírito condicionados pelas circunstâncias e as emoções, levam-me com frequência a pensar na morte.
Digo pensar e não desejar, que são coisas diferentes.

Que mal tem?
Não estou contente a vida que tenho?

Evidentemente sim!
Não posso desejar nada que efectivamente não tenha.

Sonhos?

Alguns sobretudo penso na minha família que gostaria de contemplar com benefícios extraordinários, talvez para ser lembrado como um Pai fantástico!

Ou seja, por mim... unicamente por mim para satisfação do meu ego.
É, de facto, muito pouco.

Fazer falta?
Claro que sim!

Ser insubstituível?
Claro que não!

ama, reflexões, 16.07.2016

Sem comentários:

Enviar um comentário