28/01/2017

Evangelho e comentário

Tempo comum

São Tomás de Aquino – Doutor da Igreja

Evangelho: Mc 4, 35-41

35 Naquele mesmo dia, ao cair da tarde, disse-lhes: «Passemos à outra margem». 36 Eles, deixando a multidão, levaram-n'O consigo, assim como estava, na barca. Outras embarcações O seguiram. 37 Então levantou-se uma grande tempestade de vento, e as ondas lançavam-se sobre a barca, de tal modo que a barca se enchia de água. 38 Jesus estava na popa a dormir sobre um travesseiro. Acordaram-n'O e disseram-Lhe: «Mestre, não Te importas que pereçamos?». 39 Ele levantou-Se, ameaçou o vento e disse para o mar: «Cala-te, emudece». O vento amainou e seguiu-se uma grande bonança. 40 Depois disse-lhes: «Porque sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?». Ficaram cheios de grande temor, e diziam uns para os outros: 41 «Quem será Este, que até o vento e o mar Lhe obedecem?».

Comentário:

Jesus dorme rendido pelo cansaço de um trabalho apostólico intenso.
A Sua humanidade, como a nossa, precisa de descansar.
Cristo é um homem perfeito, mas não é um super-homem, tem fome, sente sede, é vencido pela fadiga.
Esta realidade comove e atrai e, de certo modo, realça a humanidade do Salvador.
De facto, Ele é igual a nós em tudo excepto no pecado.


(ama, comentário sobre Mc 4, 35-41)

Sem comentários:

Enviar um comentário