18/11/2016

Evangelho e comentário

Tempo Comum

Evangelho: Lc 19, 45-48

45 Tendo entrado no templo, começou a expulsar os vendedores, 46 dizendo-lhes: «Está escrito: “A Minha casa é casa de oração; e vós fizestes dela um covil de ladrões”». 47 Todos os dias ensinava no templo. Mas os príncipes dos sacerdotes, os escribas e os chefes do povo procuravam perdê-l'O; 48 porém, não sabiam como proceder, porque todo o povo estava suspenso quando O ouvia.

Comentário:

O "comércio " dos tempos actuais que se faz nas Igrejas é algo diferente do que se fazia no tempo a que este Evangelho se refere.

Hoje explora-se de forma profissional, organizada e, não poucas vezes contundente a caridade dos que os frequentam.

Há transportes organizados para levar esses "pedintes" de um local para outro, uma contabilidade, um "direito" adquirido de exclusividade em lugares e horas certas.

(No ano passado um destes, sempre presente nas Missas de fim de-semana numa Igreja do Porto, disse-me que não estaria no mês de Agosto porque “ia até ao Algarve”!!!)

Esta gente não está propriamente no templo mas às portas por isso não se podem expulsar. Mas o princípio de exploração e aproveitamento dos que frequentam a Casa de Deus é o mesmo.

(AMA, comentário sobre Lc 19, 45-48, 20.11.2015)

Sem comentários:

Enviar um comentário