28/10/2016

Reflectindo - 207

Dons do Espírito Santo - 1

Como viver sem eles?

Não tenho uma resposta porque na realidade não sei.
Considero-me credor de imensos dons que ao longo da minha vida fui recebendo mas, na verdade, sinto que nos últimos tempos têm sido abundantes e de tal forma sensíveis que, também não tenho dúvidas, se tem operado uma notória transformação em mim, na minha vida.

Julgo sinceramente que para melhor.

Como tenho a certeza que como tal não se deve a qualquer mérito da minha parte só posso concluir que o Senhor me tem reservado algo que não sei o que possa ser.
Espero pela santidade, quero definitivamente ser santo!

Parece-me viver uma outra vida, não uma vida dupla, mas única, uma só.

Estou a tornar-me num "místico?

Talvez mas não me assusta.
Deveria?

Rezo não mais que antes mas talvez reze melhor, sinto-me cada vez mais íntimo do Senhor.

Quanto devo?
Sim, assusta-me um pouco a dimensão da dívida.
Como pagar?

Não me parece que deva ser uma preocupação porque não me ocorre sequer que o Senhor dá com o objectivo de receber.

Não!
Dá para que os Seus filhos possam cumprir melhor a Sua Vontade por­que sabe muito bem que por nós próprios não conseguiríamos.

Mas saber que no fundo não existe dívida a pagar não exime que não se agradeça bem pelo contrário quanto mais se recebe mais se deve agradecer.

A gratidão é um sentimento de grande beleza e dignidade e ser grato traz uma satisfação íntima muito real e concreta.

(ama, reflexões, Malta, Maio, 2016)


(cont)

Sem comentários:

Enviar um comentário