10/09/2016

Evangelho e comentário


Tempo Comum

Evangelho: Lc 6, 43-49

«Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Não há árvore boa que dê mau fruto, nem árvore má que dê bom fruto. Cada árvore conhece-se pelo seu fruto: não se colhem figos dos espinheiros, nem se apanham uvas das sarças. O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem; e o homem mau, da sua maldade tira o mal; pois a boca fala do que transborda do coração. Porque Me chamais ‘Senhor! Senhor!’, mas não fazeis o que vos digo? Vou mostrar-vos a quem se assemelha todo aquele que vem ter comigo, ouve as minhas palavras e as põe em prática. É semelhante a um homem, que, para construir a casa, escavou, aprofundou e assentou os alicerces sobre a rocha. Quando veio uma cheia, a torrente irrompeu contra aquela casa, mas não a pôde abalar, porque estava bem construída. Mas aquele que ouve as minhas palavras e não as põe em prática é semelhante a um homem que construiu a casa sobre a terra, sem alicerces. A torrente irrompeu contra aquela casa, que imediatamente desabou; e foi grande a sua ruína».

Comentário:

Fica bem claro que o que interessa verdadeiramente é fazer.
Conhecer a doutrina, rezar belas orações mais ou menos extensas, ter bons sentimentos de paz e solidariedade tudo isso – importantíssimo sem dúvida – de pouco vale se ficarmos imóveis como que fechados numa concha sem sair ao encontro dos outros para transmitir, partilhar e tentar “arrastar” para o Reino de Deus quantas almas encontramos no nosso caminhar.

Mesmo os contemplativos têm um trabalho estrénuo estabelecendo e fortalecendo essa “corrente” entre o Céu e a Terra por onde nos chegam as inúmeras Graças que o Senhor tem reservadas para todos.

(ama, comentário sobre Lc 6, 43-49, Cascais, 2015.09.12)








Sem comentários:

Enviar um comentário