26/07/2017

Fátima: Centenário - Vida de Maria - 37


Centenário das aparições da Santíssima 

Virgem em Fátima


O nascimento de Jesus



A VOZ DOS PADRES

«Um grande sol se recolheu e escondeu numa nuvem esplêndida. Uma adolescente foi Mãe d’Aquele que criou o homem e o mundo. Ela levava um menino, acariciava-O, abraçava-O, mimava-O com as mais formosas palavras e adorava-O dizendo-Lhe: A minha mente está perturbada pelo temor, concede-me a força para Te louvar. Não sei explicar como estás calado, quando sei que em ti retumbam os tronos. Nasceste de mim como um pequeno, mas és forte como um gigante; és o Admirável, como te chamou Isaías quando profetizou sobre ti [i].
Eis aqui que todo Tu estás comigo e, no entanto, estás inteiramente escondido em teu Pai. As alturas do céu estão cheias da Tua majestade e, não obstante, o meu seio não foi demasiado pequeno para ti. A Tua Casa está em mim e nos Céus. Louvar-Te-ei com os Céus. As criaturas celestes olham-me com admiração e chamam-me Bendita.

Que me ampare o céu com o seu abraço, porque fui mais honrada do que ele. O céu, com efeito, não foi a Tua mãe; mas tornaste-o o Teu trono. Quanto mais venerada é a Mãe do Rei do que o Seu trono! Abençoar-Te-ei, Senhor, porque quiseste que fosse a Tua Mãe; celebrar-Te-ei com formosas canções.

Oh! Gigante que susténs a terra e que quiseste que ela Te sustenha. Bendito sejas. Glória a Ti, oh! Rico, que te fizeste Filho de uma pobre».

São Efrén da Síria (século IV). Hino 18




[i] cfr. Is 9, 5

Sem comentários:

Enviar um comentário