29/07/2017

Evangelho e comentário

Tempo Comum

Santa Marta

Evangelho: Jo 11, 19-27

19 e muitos judeus tinham ido visitar Marta e Maria para lhes darem os pêsames pelo seu irmão. 20 Logo que Marta ouviu dizer que Jesus estava a chegar, saiu a recebê-lo, enquanto Maria ficou sentada em casa. 21Marta disse, então, a Jesus: «Senhor, se Tu cá estivesses, o meu irmão não teria morrido. 22 Mas, ainda agora, eu sei que tudo o que pedires a Deus, Ele to concederá.» 23 Disse-lhe Jesus: «Teu irmão ressuscitará.» 24 Marta respondeu-lhe: «Eu sei que ele há-de ressuscitar na ressurreição do último dia.» 25 Disse-lhe Jesus: «Eu sou a Ressurreição e a Vida. Quem crê em mim, mesmo que tenha morrido, viverá. 26 E todo aquele que vive e crê em mim não morrerá para sempre. Crês nisto?» 27 Ela respondeu-lhe: «Sim, ó Senhor; eu creio que Tu és o Cristo, o Filho de Deus que havia de vir ao mundo.»

Comentário:

A confissão de Marta consubstancia-se no Símbolo da Fé que professamos: o Credo!

Atentemos bem nas palavras e no seu “peso” quando o recitarmos.

Logo no início da nossa vida cristã – Baptismo – pela boca dos nossos padrinhos assumimos estas verdades que são como que o “núcleo” da nossa Fé cristã.

Por isso se torna tão importante a escolha criteriosa dos padrinhos de baptismo que, antes de mais, têm de conhecer bem e entender o que, em nosso nome, proferem.

É uma responsabilidade extraordinária que não pode de modo nenhum deixar de se ter em conta.

(AMA, comentário sobre Jo 11, 19-27, 20.03.2017)

Sem comentários:

Enviar um comentário