24/07/2017

Evangelho e comentário

Tempo Comum


Evangelho: Mt 12, 38-42

38 Então replicaram-lhe alguns dos escribas e fariseus, dizendo: «Mestre, nós desejávamos ver algum prodígio Teu». 39 Ele respondeu-lhes: «Esta geração má e adúltera pede um prodígio, mas não lhe será dado outro prodígio senão o prodígio do profeta Jonas. 40 Porque, assim como Jonas esteve no centro da baleia três dias e três noites, assim estará o Filho do Homem e três dias e três noites no centro da terra. 41 Os habitantes de Nínive levantar-se-ão no dia do juízo contra esta geração, e a condenarão, porque se converteram com a pregação de Jonas. Ora aqui está Quem é maior que Jonas. 42 A rainha do Meio-Dia levantar-se-á no dia do Juízo contra esta geração e a condenará, porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. Ora aqui está Quem é mais que Salomão.

Comentário:

Não se compreende o que os escribas e os fariseus entendem por “prodígio”.
Jesus Cristo tem feito – aos olhos de todos – inúmeros prodígios coo dar vista aos cegos, ouvido aos surdos, ressuscitar mortos, alimentar milhares com uns poucos de pães e peixes… então, tudo isto – e muito mais – não são prodígios?

A esta “cegueira” persistente Jesus só dá uma resposta: a geração dos que assim O interpelam é uma «geração má e adúltera» que será condenada por todos os que virão a seguir e, também pelos que a antecederam e, a razão é simples e concreta:

Não se converteu!


(AMA, comentário sobre Mt 12, 38-42, 17.03.2017)

Sem comentários:

Enviar um comentário