23/06/2017

Evangelho e comentário

Tempo Comum

Sagrado Coração de Jesus

Evangelho: Mt 11, 25-30

25Naquela ocasião, Jesus tomou a palavra e disse: «Bendigo-te, ó Pai, Senhor do Céu e da Terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e aos entendidos e as revelaste aos pequeninos. 26Sim, ó Pai, porque isso foi do teu agrado. 27Tudo me foi entregue por meu Pai; e ninguém conhece o Filho senão o Pai, como ninguém conhece o Pai senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar.» 28«Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, que Eu hei-de aliviar-vos. 29Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração e encontrareis descanso para o vosso espírito. 30Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.»

Comentário:

A " escolha " de Deus a quem revelar as verdades da Fé, os princípios do comportamento dos Seus filhos de modo a merecerem o destino glorioso que lhes tem reservado, fica bem claro nas palavras de Jesus.

A mim parece-me lógico e muito justo.

Lógico porque os "sábios" não deveriam precisar de revelações, mas sim, utilizando os seus conhecimentos, chegarem a conhecer o que precisavam.

Justo porque os "pequeninos", como Jesus lhes chama, não recebiam - como era seu direito - os ensinamentos fundamentais da doutrina. Apenas eram "massacrados" por um sem-fim de regras e disposições que os convertiam em "ovelhas sem pastor", ou seja, sem guia nem programa, auxílio ou refúgio.

Nós somos, afortunadamente, esses pequeninos que o Senhor elegeu dando-nos os meios de salvação suficientes e seguros - os Sacramentos - e a possibilidade de a Ele recorrer sempre que necessário.
Depois, o Espírito Santo infundiu em nós os Seus Dons tornando-nos aptos a compreender as verdades da Fé.

(AMA, comentário sobre Mt 11, 25-30, Malta, 29.04.2016)






Sem comentários:

Enviar um comentário