23/05/2017

Reflectindo - 253

Amor a Deus

Amamos Deus?
Como Ele nos ama?

Mas, esse foi o mandato claro de Jesus!

Ah! mas não podemos porque somos simples criaturas e, Ele, é o criador, ele é o Próprio Amor, infinito, total, sem medida.

Mas se Deus não tem medida infinitamente, nós que temos uma dimensão humana, podemos amar finitamente com toda a nossa capacidade.

Desde modo podemos amar Deus como Ele nos ama, isto é, retribuir o Seu amor infinito total com o nosso amor total e com a medida que temos.

Ou seja, recebemos tudo e damos tudo.

Cumprimos assim o mandato, satisfazemos o que nos é ordenado.

O amor é um pouco complicado, presumo, porque parece precisar de umas disposições de alma e coração que por vezes não temos.

Pode ser, mas o que é certo é que amar não tem que ver nem com "feito" ou maneira de ser, sensibilidade ou frieza. Amar tem que ver com a própria essência humana.

Somos fruto do amor, de Deus em primeiro lugar e, depois, dos nossos pais que nos trouxeram a este mundo.

O fruto só pode ter as características que recebeu da árvore e sendo assim somos os homens como que o produto vivo desse mesmo amor.

Alimentar o amor, amar e ser amado, é, pois, uma obrigação natural e consequente com a nossa origem e, mais, com o fim que nos espera: a vida eterna.

Esta não é mais que a sublimação do amor, é a suprema felicidade que tal nos trará.

Vale a pena amar.

Convém cultivar o amor.

É muito bom ser amado pelo que se é independentemente do que possa ter.


(ama, reflexões, 2016.11.08)


Sem comentários:

Enviar um comentário