17/05/2017

Evangelho e comentário


Tempo de Páscoa


Evangelho: Jo 15, 1-8

1«Eu sou a videira verdadeira e o meu Pai é o agricultor. 2Ele corta todo o ramo que não dá fruto em mim e poda o que dá fruto, para que dê mais fruto ainda. 3Vós já estais purificados pela palavra que vos tenho anunciado. 4Permanecei em mim, que Eu permaneço em vós. Tal como o ramo não pode dar fruto por si mesmo, mas só permanecendo na videira, assim também acontecerá convosco, se não permanecerdes em mim. 5Eu sou a videira; vós, os ramos. Quem permanece em mim e Eu nele, esse dá muito fruto, pois, sem mim, nada podeis fazer. 6Se alguém não permanece em mim, é lançado fora, como um ramo, e seca. Esses são apanhados e lançados ao fogo, e ardem. 7Se permanecerdes em mim e as minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes, e assim vos acontecerá. 8Nisto se manifesta a glória do meu Pai: em que deis muito fruto e vos comporteis como meus discípulos.»

Comentário:

É bem de ver que podar as videiras é uma tarefa absolutamente necessária para não só manter a saúde e o vigor das plantas como para garantir frutos abundantes e de bom calibre.

Abandonada a videira continuará a dar frutos, mas, em pouco tempo estes tornam-se enfezados e sem qualquer préstimo e a própria videira crescerá sem forma num emaranhado de ramos e folhas que acabarão por abafar as outras plantas que estiverem próximo.

Assim connosco os cristãos temos de "podar" quanto não presta ou está a mais na nossa vida, mantendo o vigor e a saúde da nossa alma para que as obras sejam boas, dêem os frutos que o Senhor legitimamente espera colher.

Por vezes pode custar esse corte, essa "limpeza" desses inúmeros "ramos" que são os desejos de ter, os atilhos que nos prendem a coisas supérfluas, o lastro que vamos acumulando que nos pesa e tolhe.

Mas vale a pena!


(AMA, comentário sobre Jo 15, 1-8, Malta, 27.04.2016)






Sem comentários:

Enviar um comentário