27/01/2017

Evangelho e comentário

Tempo comum

Evangelho: Mc 4, 26-34

26 Dizia também: «O reino de Deus é como um homem que lança a semente à terra. 27 Dorme e se levanta, noite e dia, e a semente germina e cresce sem ele saber como. 28 Porque a terra por si mesma produz, primeiramente a haste, depois a espiga, e por último a espiga cheia de grãos. 29 E, quando o fruto está maduro, mete logo a foice, porque chegou o tempo da ceifa». 30 Dizia mais: «A que coisa compararemos nós o reino de Deus? Com que parábola o representaremos? 31 É como um grão de mostarda que, quando se semeia no campo, é a menor de todas as sementes que há na terra; 32 mas, depois que é semeado, cresce e torna-se maior que todas as hortaliças, e cria ramos tão grandes que “as aves do céu podem vir abrigar-se à sua sombra”». 33 Assim lhes propunha a palavra com muitas parábolas como estas, conforme eram capazes de compreender.34 Não lhes falava sem parábolas; porém, em particular explicava tudo aos Seus discípulos.

Comentário:

Talvez haja quem pense que Jesus Cristo deveria falar de outro modo, mais claro, directo.

A verdade é que - desde sempre - a melhor forma de apresentar algo novo e revelar o até então desconhecido, ė através de exemplos gráficos, simples e assertivos que melhor possam ser compreendidos.

Sobretudo naquele tempo de escassa cultura, ensinar usando os métodos tradicionais era algo reservado só a alguns e, o povo comum e anónimo, não tinha nem acesso nem possuía bases que lhe permitissem compreender o que se lhes transmitia.

Seja como for o Evangelista confirma que tudo era explicado aos discípulos para que entendessem bem a doutrina que as parábolas encerravam.

(ama, comentário sobre Mc 4, 26-34 2016.01.29)


Sem comentários:

Enviar um comentário