16/01/2017

Bento XVI – Pensamentos espirituais 128

Deus é insondável

É certo que Job pôde lamentar-se a Deus por causa do sofrimento, incompreensível e aparentemente injustificado, presente no mundo... [i].

Muitas vezes não nos é concedido saber o motivo pelo qual Deus retém o seu braço, em vez de intervir.
Aliás Ele não nos impede sequer de gritar, como Jesus na cruz:

«Meu Deus, meu Deus, porque me abandonaste?» [ii].

Num diálogo orante, havemos de lançar-Lhe em rosto esta pergunta:

«Até quando esperarás, Senhor, Tu que és santo e verdadeiro?» [iii].

Santo Agostinho dá a este nosso sofrimento a resposta da fé:

«Si comprehendis, non est Deus - se o compreendesses, não seria Deus» [iv].

Encíclica Deus Caritas Est, n.a 38, (Fevereiro de 2006
(in “Bento XVI, Pensamentos Espirituais”, Lucerna 2006)



[i] (Job 23, 3.5-6.15-16)
[ii] (Mt 27, 46)
[iii] (Ap 6, 10)
[iv] (Sermo 52, 16: PL 38, 360)

Sem comentários:

Enviar um comentário