18/12/2016

Evangelho e comentário

Tempo do Advento

Evangelho: Mt 1, 18-24

O nascimento de Jesus deu-se do seguinte modo: Maria, sua Mãe, noiva de José, antes de terem vivido em comum, encontrara-se grávida por virtude do Espírito Santo. Mas José, seu esposo, que era justo e não queria difamá-la, resolveu repudiá-la em segredo. Tinha ele assim pensado, quando lhe apareceu num sonho o Anjo do Senhor, que lhe disse: «José, filho de David, não temas receber Maria, tua esposa, pois o que nela se gerou é fruto do Espírito Santo. Ela dará à luz um Filho e tu pôr-Lhe-ás o nome de Jesus, porque Ele salvará o povo dos seus pecados». Tudo isto aconteceu para se cumprir o que o Senhor anunciara por meio do Profeta, que diz: «A Virgem conceberá e dará à luz um Filho, que será chamado ‘Emanuel’, que quer dizer ‘Deus connosco’». Quando despertou do sono, José fez como o Anjo do Senhor lhe ordenara e recebeu sua esposa.

Comentário:

No espaço de poucos dias a Liturgia repete esta mesma descrição no que se refere a São José.

É natural, aproxima-se com rapidez a comemoração do Nascimento do Salvador e nunca é demais lembrar a quem foi salvo – que fomos todos os homens – como começa essa extraordinária “epopeia” da salvação.

Para que não restem dúvidas tudo ficou registado pelo Evangelistas de tal forma que ninguém pode, com verdade, ignorar como aconteceu.

E é bom – fundamental – que todos tenhamos bem presente que o Filho de Deus quis fazer-se um de nós, nascer de uma mulher, ter uma infância, adolescência, comer e beber, trabalhar, viver em família.

Admirável Amor que assim se dá aos homens, convertendo-os em Seus irmãos, co-herdeiros, filhos de Deus Pai.

(ama, comentário sobre Mt 1, 18-24, 12.10.2016)





Sem comentários:

Enviar um comentário