11/12/2016

Evangelho e comentário

Tempo do Advento

Evangelho: Mt 11, 2-11

Naquele tempo, João Baptista ouviu falar, na prisão, das obras de Cristo e mandou-Lhe dizer pelos discípulos: «És Tu Aquele que há-de vir, ou devemos esperar outro?». Jesus respondeu-lhes: «Ide contar a João o que vedes e ouvis: os cegos vêem, os coxos andam, os leprosos são curados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam e a Boa Nova é anunciada aos pobres. E bem-aventurado aquele que não encontrar em Mim motivo de escândalo». Quando os mensageiros partiram, Jesus começou a falar de João às multidões: «Que fostes ver ao deserto? Uma cana agitada pelo vento? Então que fostes ver? Um homem vestido com roupas delicadas? Mas aqueles que usam roupas delicadas encontram-se nos palácios dos reis. Que fostes ver então? Um profeta? Sim – Eu vo-lo digo – e mais que profeta. É dele que está escrito: ‘Vou enviar à tua frente o meu mensageiro, para te preparar o caminho’. Em verdade vos digo: Entre os filhos de mulher, não apareceu ninguém maior do que João Baptista. Mas o menor no reino dos Céus é maior do que ele».

Comentário:

A última frase deste trecho de São Mateus talvez pareça algo enigmá­tica.

Temos de considerar que quando Jesus Cristo profere estas palavras, a salvação da humanidade ainda não estava completada, ou seja, a humanidade ainda não tinha adquirido a dignidade de filhos de Deus e, por consequência, o Reino dos Céus ainda não lhe estava acessível.

É fácil presumir que, logo após a Ressurreição, o Baptista tenha entrado gloriosamente no seio de Deus e, seguramente ocupado um lugar cimeiro.

Este é, de facto, um dos “últimos que passa a ser dos primeiros”.

(ama, comentário sobre Mt 11, 2-11, 2013.12.15)






Sem comentários:

Enviar um comentário