16/07/2018

Evangelho e comentário


Tempo comum

Nossa Senhora do Carmo

Evangelho: Mt 10, 34 - 11, 1

34 Não penseis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer a paz, mas a espada.
1 Quando Jesus acabou de dar estas instruções aos doze discípulos, partiu dali, a fim de ir ensinar e pregar nas suas cidades.

Comentário:

A Liturgia apresenta-nos hoje o último versículo do capítulo 10 e o primeiro do capítulo 11 do Evangelho escrito por São Mateus.

Acaba, por assim dizer, o longo discurso de instruções para a missão de Apóstolos com uma frase lapidar.

Ele próprio declara que traz a espada ou seja, que a salvação dos homens não será feita sem luta – por vezes bem acesa – entre os inimigos do Reino de Deus e aqueles que o querem receber sem olhar a dificuldades e sacrifícios.

Por outras palavras, diz-lhes que a missão que os espera será dura e, por vezes, exigente até à morte mas que, a implantação do Reino de Deus será levada a cabo e que, de alguma forma, se cumprirá o Seu desejo, de haja «um só rebanho e um só pastor».

A espada significa exactamente esse corte definitivo e irreversível dos que que não aceitarem a condição necessária para a salvação: o cumprimento – em tudo – da vontade de Deus.

(AMA, comentário sobre Mt 10, 34 - 11, 1. 16.04.2018)