05/04/2017

Evangelho e comentário

Tempo da Quaresma


Evangelho: Jo 8, 31-42

Naquele tempo, dizia Jesus aos judeus que tinham acreditado n’Ele: «Se permanecerdes na minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos, conhecereis a verdade e a verdade vos libertará». Eles responderam-Lhe: «Nós somos descendentes de Abraão e nunca fomos escravos de ninguém. Como é que Tu dizes: ‘Ficareis livres’?» Respondeu Jesus: «Em verdade, em verdade vos digo: Todo aquele que comete o pecado é escravo. Ora o escravo não fica para sempre em casa ; o filho é que fica para sempre. Mas se o Filho vos libertar, sereis realmente homens livres. Bem sei que sois descendentes de Abraão; mas procurais matar-Me, porque a minha palavra não entra em vós. Eu digo o que vi junto de meu Pai e vós fazeis o que ouvistes ao vosso pai». Eles disseram: «O nosso pai é Abraão». Respondeu-lhes Jesus: «Se fôsseis filhos de Abraão, faríeis as obras de Abraão. Mas procurais matar-Me, a Mim que vos disse a verdade que ouvi de Deus. Abraão não procedeu assim. Vós fazeis as obras do vosso pai». Disseram-Lhe eles: «Nós não somos filhos ilegítimos; só temos um pai, que é Deus». Respondeu-lhes Jesus: «Se Deus fosse o vosso Pai, amar-Me-íeis, porque saí de Deus e d’Ele venho. Eu não vim de Mim próprio; foi Ele que Me enviou».

Comentário:

Na sequência dos versículos anteriores, o Evangelista especifica que Jesus Cristo Se dirige agora de modo particular aos que creram nele.
Não por desprezo pelos outros, mas com o claro objectivo de catequizar mais profundamente esses que deram o primeiro passo.
E não podemos deixar de sentir simpatia por estes judeus que embora acreditando em Jesus Cristo têm dúvidas e alguma confusão de sentimentos.

Em consequência fazem o que se deve fazer nestes casos: ser claro nas perguntas, objectivo nas questões, sincero na vontade de ver o que está de certa forma oculto.

(ama, comentário sobre Jo 8, 31-42, 2014.04.09)





Sem comentários:

Enviar um comentário