14/09/2016

Evangelho e comentário


Tempo Comum

Exaltação da Santa Cruz [i]

Evangelho: Jo 3, 13-17

13 Ninguém subiu ao céu, senão Aquele que desceu do céu, o Filho do Homem, que está no céu. 14 E como Moisés levantou no deserto a serpente, assim também importa que seja levantado o Filho do Homem, 15 a fim de que todo o que crê n'Ele tenha a vida eterna. 16 «Porque Deus amou de tal modo o mundo, que lhe deu Seu Filho Unigénito, para que todo aquele que crê n'Ele não pereça, mas tenha a vida eterna. 17 Porque Deus não enviou Seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele.

Comentário:

Por mais que muitos ao longo dos séculos tenham tentado - e ainda continuem - reduzir o Sacrifício da Cruz a um mero acontecimento histórico, a verdade é que, ele, marcou para sempre o tempo e a vida humana sobre a terra. Terá havido muitos milhares de crucifi­cados mas só um foi o Crucificado Salvador.

A morte de Cristo na Cruz é a charneira da história, a marca indelé­vel da Redenção.

Não é possível ficar indiferente e, por isso mesmo, ou a aceitamos e atingimos a salvação ou, rejeitando-a, nos perdemos.

(ama, comentário sobre Jo 3, 13-17, 04.07.2016)








[i] Exaltação da Santa Cruz, que, no dia seguinte à dedicação da basílica da Ressurreição, erigida sobre o sepulcro de Cristo, é exaltada e honrada como o troféu da sua vitória pascal e sinal que há-de aparecer no céu para anunciar a todos a segunda vinda do Senhor.

Sem comentários:

Enviar um comentário