14/08/2016

Temas para meditar - 655

Comunhão com não católicos

Seguindo o exemplo de Deus nosso Pai devemos desejar para todos os homens - também para os que se declaram nossos inimigos - em primeiro lugar a vida eterna; depois, o cristão tem obrigação de respeitar e de compreender a todos sem excepção pela intrínseca dignidade da criatura humana, feita à imagem e semelhança do Criador. Jesus Cristo ensinou-nos com o Seu exemplo que este preceito não é uma simples recomendação piedosa. (...)

A Igreja, na Liturgia de Sexta-Feira Santa, eleva a Deus orações e sufrágios pelos que estão fora da Igreja para que lhes dê a graça da fé, para que os que não conhecem a Deus saiam da sua ignorância; para que os Judeus recebam a luz da verdade; para que os não católicos, estreitados pelo laço da verdadeira caridade, se unam de novo à comunhão da Igreja nossa Mãe.

(Bíblia Sagrada anot. pela Fac. Teol. de Navarra comentário Lc 6 27-32)

Sem comentários:

Enviar um comentário