10/08/2016

Evangelho e comentário


Tempo Comum

São Lourenço [i]

Evangelho: Jo 12, 24-26

24 Em verdade, em verdade vos digo que, se o grão de trigo que cai na terra não morrer, 25 fica infecundo; mas, se morrer, produz muito fruto. Quem ama a sua vida, perdê-la-á e quem aborrece a sua vida neste mundo, conservá-la-á para a vida eterna. 26 Se alguém Me quer servir, siga-Me e, onde Eu estou, estará ali também o que Me serve. Se alguém Me servir, Meu Pai o honrará.

Comentário:

Ao comparar-nos a um grão de trigo, Jesus Cristo está dar-nos uma elevadíssima categoria.

O grão de trigo que se reproduz em quantidades de dezenas e dezenas de grãos é a base do alimento da humanidade.

O cristão pode – deve ser – fecundo como trigo e com a sua acção apostólica dar alimento a muitos.

É verdade! 
A humanidade tem fome que grassa um pouco por todo o lado ma, sobretudo, tem fome de Deus.

E se a fome pode ser debelada se os homens de boa vontade assim quiserem a fome de Deus só pode ser saciada com a propagação do Reino de Deus, o conhecimento das verdades da Fé, a prática da vida cristã.

E, esta tarefa, cabe-nos a todos os baptizados.

(ama, comentário sobre Jo 12, 24-26, 2015.08.10)











[i] Nota Histórica
Era diácono da Igreja Romana e morreu mártir na perseguição de Valeriano, quatro dias depois do papa Sisto II e seus companheiros, os quatro diáconos romanos. O seu sepulcro encontra se junto à Via Tiburtina, no Campo Verano. Constantino Magno erigiu uma basílica naquele lugar. O seu culto já se tinha difundido na Igreja no século IV.

Sem comentários:

Enviar um comentário